Loading...

domingo, 23 de janeiro de 2011

"Educação não transforma o mundo. Educação muda pessoas. Pessoas transformam o mundo". Paulo Freire

HISTÓRIA DA ESCOLA
A escola foi instalada em 13 de março de 1947.
Surgiu da antiga escola primária da Companhia Ferro Brasileira, empresa que manteve durante muitos anos a única escola do Bairro José Brandão.
A Companhia cedeu o prédio, os mobiliários, livros, utensílios de cantina para que fosse criada a nova unidade escola, em homenagem a JOÃO MONLEVADE, um dos pioneiros da indústria siderúrgica do Brasil.
Em 1817, aos 28 anos, chega ao Brasil o francês Jean Antonie Félix Dissandes de Monlevade. Ao aportar no Rio de Janeiro, Jean de Monlevade segue viagem para a província de Minas Gerais, estado que ele aponta como um grande campo de estudo na área de mineralogia e geologia, visto que ele era Engenheiro de Minas.
Em Minas, Jean de Monlevade nota que o estado é repleto de forjas para a produção de ferro, fazendo-o percorrer várias comarcas, como Sabará, Caeté e São Miguel do Piracicaba, onde adquiriu algumas sesmarias e construiu sua Forja Catalã, além de sua moradia: O Solar Monlevade.
Com um vasto conhecimento que Jean de Monlevade adquiriu através de seus estudos, e a aquisição de vários equipamentos comprados da Inglaterra, a fábrica criada por ele prosperou. Se tornou uma das mais importantes no período imperial. Tinha uma produção relativamente diversificada. Produzia desde enxadas até freios para animais.
Na década de 30, houve a construção da Companhia Siderúrgica Belgo-Mineira (hoje denominada ArcelorMittal Monlevade), definitivamente implantada em 1935 com ajuda de outro pioneiro: O engenheiro Louis Ensch.
Logo, o distrito começou seu ciclo de evolução, desenvolvendo-se no entorno da próspera usina siderúrgica que atraia um número de pessoas cada vez maior, visto que já alcançava âmbito nacional. Com isso, o lugar se tornou propício para a entrada de novos comerciantes, consequentemente, a criação de novos bairros ao redor da indústria. A usina atualmente é considerada uma das mais importantes do Brasil. Indubitavelmente, é a fonte de renda mais relevante para a cidade.

Logo após a criação da Escola João Monlevade, Elizeta Ordones Franco assumiu sua direção.

Em 1948, a professora Maria de Lourdes Jacob Paulino tornou-se a segunda diretora da escola.
Somente mais tarde, em 1974, a escola recebeu denominação de estadual, A diretora era Dona Maria José Reis em 1998 quando foi municipalizada, passando a ter o atual nome. No ano seguinte assumiu a coordenação administrativa e pedagógica Dona Andréa Cristina de Carvalho Franco. Em 2002 assumiu a coordenação da escola Dona Luíza da Mata Santos.No ano de 2003 foi realizada a primeira eleição municipal para direção foi eleita a diretora Dona Luíza da Mata Santos e sua vice Dona Maria Aparecida Guerra de Almeida.
Em 2007 tomou posse, pela primeira vez, a diretora Dona Maria Aparecida Guerra de Almeida, junto à vice Dona Maria Aparecida Wenceslau.
 A Escola Municipal João Monlevade tem os níveis Infantil e Fundamental. É mantida pela Prefeitura de Caeté e possui cerca de 300 alunos.
FILOSOFIA DA ESCOLA
Nosso objetivo é que a escola seja o lugar onde a criança aprenda brincando as coisas importantes da vida criem valores, desenvolva a criatividade, ganhe confiança em si mesma e alce vôo para conquistar o espaço da liberdade.

PROPOSTA PEDAGÓGICA
A escola visa desenvolver um aluno que valorize a vida, preservando a sua individualidade como ser auto-confiante, na tentativa de valorização de suas experiências, na busca da construção de seus conhecimentos alicerçada na troca de vivências entre coleguinhas, educadores e familiares. A escola propõe-se, através do diálogo e de um trabalho lúdico, auxiliar no desenvolvimento de todas as áreas proporcionando a formação integral dos alunos, conseqüentemente para que sejam: autônomos, realizem-se como pessoas, respeitem o meio em que vivem, resolvam problemas e sejam fraternos e solidários com os demais. Todo trabalho na escola está alicerçado numa pedagogia criativa, dinâmica e lúdica, baseada na afetividade do trato com a criança. A escola segue linhas pedagógicas Sociointeracionista que segundo Vygotisky a abordagem  é segundo a qual o desenvolvimento humano se dá em relação nas trocas entre parceiros sociais, através de processos de interação e mediação. Processos de interação são processos onde o indivíduo interage com a sua cultura.e Construtivista desenvolvida pelo filósofo Jean Piaget (1896-1980), propõe que o conhecimento resulta da interação de uma inteligência sensório-motora com o ambiente. O estudo demonstrou que uma criança aprende espontaneamente, organizando os dados do exterior a partir dos quais vai construindo seu conhecimento, não é um “ser” moldado pelo professor. Noções como proporção, quantidade, causalidade, volume e outras, surgem da própria interação da criança com o meio em que  vive.

PARCERIAS IMPORTANTES
FDG
A Fundação de Desenvolvimento Gerencial – FDG nasceu dos ideais dos professores José Martins de Godoy e Vicente Falconi Campos que, em 1998, vislumbraram a constituição de uma Entidade capaz de difundir as melhores técnicas e metodologias gerenciais existentes.ÁREAS DE ATUAÇÃO
A FDG atua no sentido de construir um “Sistema de Gestão” para as instituições assistidas, no qual todos conheçam o seu papel no atingimento dos resultados. Essa maneira de trabalhar evita a abordagem pulverizada usual.


PROJETO MANUELZÃO
Nasceu em janeiro de 1997, por iniciativa de professores da Faculdade de Medicina da UFMG. As diretrizes do Projeto Manuelzão: lutar por melhorias nas condições ambientais e, assim, garantir a promoção da qualidade de vida, rompendo com a prática predominantemente assistencialista e tendo por objetivo principal promover a revitalização da bacia do rio das Velhas.
Para isso, o projeto incentiva a participação e o comprometimento da comunidade, constrói relações com o poder público (como a parceria junto ao Governo do Estado de Minas Gerais e aos municípios ao longo da bacia) e com o empresariado, além de atuar na educação ambiental e na pesquisa.
A nossa escola abraçou o projeto ativamente.

PROERD-Programa de Resistência às Drogas e à Violência 
O Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (PROERD) é uma iniciativa da Polícia Militar de prevenção para crianças do Ensino Fundamental até o Ensino Médio; os pais também recebem orientações em reuniões e palestras, representando um esforço cooperativo entre Escolas, Pais e Polícia Militar. O PROERD é baseado no Programa Americano chamado D.A.R.E (Drug Abuse Resistance Education).
Hoje ele é desenvolvido em mais de 50 países, e cerca de 40 milhões de crianças por ano têm instrução com policiais PROERD.
Blog anterior: http://blog.aprendebrasil.com.br/jminforma/2007/11/

Nenhum comentário:

Postar um comentário